VAQUEIRO OU MANEJADOR? DA LIDA BRUTA À LIDA RACIONAL

A profissão de vaqueiro é muito antiga, praticamente acompanhou os primeiros colonizadores portugueses, basicamente onde também se iniciou a criação de gado no Brasil. Os primeiros bovinos a chegarem à Bahia no século XVI eram gado zebuíno (Bos indicus), proveniente das ilhas de Cabo Verde.


Desde o início até os dias de hoje os vaqueiros são profissionais que lidam diretamente com rebanho de gados, eles são responsáveis pelo trato, pela conservação do ambiente em que os animais transitam, cuidando e tocando a boiada.


O vaqueiro sempre esteve associado a uma figura que trabalha com uma lida mais bruta, sem se preocupar com o bem estar animal e com isso continua praticando técnicas mais antigas de manejo que por muitas vezes envolve maus tratos aos animais.


O curral anti stress é um aliado do manejo racional pois é eficiente tanto para o gado, pois promove o bem estar quanto para o vaqueiro que passa a lidar com animais mais tranquilos, facilitando os procedimentos no curral.


A partir disso, têm-se buscado trabalhar o termo manejador para identificar que esses profissionais lidam de forma mais racional com o rebanho.


Eduardo Vargas, médico Veterinário da Currais Itabira esclarece que “a troca do termo vaqueiro para manejador se faz para entender que mudou, saiu de uma posição, de uma pessoa que vem trabalhando com uma lida bruta, de uma lida que não é gentil para um sistema de trabalho que pensa no bem-estar”.


Se os manejadores não fizerem um trabalho adequado, entendendo o gado, como ele se comporta, agindo com carinho, com dedicação para que o gado corresponda a isso não tem sentido, portanto eles são peças fundamentais para que a lida racional aconteça na fazenda.