top of page

PRINCÍPIOS GERAIS PARA SEGURANÇA DO MANEJO DE BOVINOS

A segurança é um dos principais objetivos no manejo racional dos bovinos tanto para os trabalhadores quanto para os animais.


Muitas fazendas que procuram seguir com um sistema de manejo melhorado não adotam medidas de segurança objetivas e regulares.


A recomendação para manejos mais seguros com bovinos é a implementação de guia de procedimentos para o trabalho do dia a dia e também para atividades extras. Estes procedimentos devem ser desenvolvidos seguindo os princípios gerais que envolvem o homem, o animal e as instalações.


Os riscos

Os riscos de acidentes no manejo de bovinos sempre vão existir. Os manejos que apresentam maiores riscos são os que necessitam de maior proximidade como os executados por médicos veterinários, vacinadores por exemplo. Com isso se os funcionários forem treinados em sistema de manejo adequado, fizer um sistema de seleção correto, o trabalho com bovinos pode ocorrer com maior segurança.


Princípios gerais do manejo de bovinos

Considera-se que o funcionário deve ter capacidade física e mental, treinamento e ter experiência. As instalações de manejo, cercas, seringa, tronco coletivo, tronco de contenção, embarcadouro e outras estruturas devem ser bem planejados de boa resistência.


O homem

Sempre manejar o gado com calma, sem gritos, impaciência ou excesso de força. Devem ter boa saúde e boa clareza sobre formas de trabalho com qualidade e segurança. Treinamento da equipe por profissionais qualificados é de grande importância ser realizados com frequência.


A instalação de manejo

É de grande importância que as instalações sejam planejadas para a lida com o gado, que tenham bom funcionamento e boa conservação.


Tronco coletivo somado ao tronco de contenção ou uma pescoçeira são essenciais. A

contenção dos animais é de suma importância não sendo recomendado trabalhar com os animais sem estar contido. Em caso de trabalhar com bovinos que estiverem deitados ou soltos é importante que se tenha áreas de escape adequadas.


O tronco coletivo

A entrada no tronco tem que ser facilitada para ter um fluxo tranquilo em direção ao tronco de contenção. Para isso a seringa circular pode facilitar a movimentação do gado com segurança e eficiência.


As dimensões corretas do tronco e em curva com visão clara à frente para os animais para locomover-se mais facilmente. O tronco deve ser alto o suficiente para que os animais não consigam saltar sobre elas na tentativa de escapar. Portões corrediços são indicados e devem ser manuseados pela área de serviço. Não se deve trabalhar no tronco com animais soltar por trás.


O tronco de contenção

É recomendável ter o tronco de contenção (BRETE) de boa qualidade que permita que a maioria dos trabalhos de rotina seja realizada de maneira eficiente e segura. Em seguida a instalação de portões de apartação para separação dos animais de acordo com as características desejadas.


O animal

Os bovinos podem demonstrar os traços de agressividade à medida que vão se desenvolvendo ou se demonstrarem animais dóceis, e mesmo assim nunca deve-se encarar como animais totalmente seguros. Sempre deve seguir com as praticas de segurança no manejo com os animais.


Trabalhando com o gado no campo

Ao realizar trabalhos com os animais a campo como a cura ou a colocação de brincos em bezerros deve sempre ser realizado por pelo menos duas pessoas para um estar auxiliando e impedindo que os animais se aproximem e agridam o segundo manejador.


Touros

Dependendo da forma de manejo reprodutivo nas fazendas os reprodutores podem ser mantidos separados dos outros animais e com isso podem se tornar mais estressados oferecendo maiores riscos aos manejadores, porém as rotinas utilizadas com esses animais podem torna-los mais fáceis de manejar se forem utilizados formas prazerosas de manejo como suplementação alimentar, banhos, escovações entre outros.


Se for adquirir novos touros de outras fazendas é importante saber como eram cuidados e manejados para fazer a adaptação destes em sua propriedade. Em caso de reprodutores que são criados desde de jovens na fazenda deve-se sempre fazer uso de sistema de treinamento destes animais de forma positiva onde os resultados serão permanentes.


Bois de engorda

Mesmo os animais de engorda, que na maioria das vezes vão para o abate antes de atingirem a maturidade que é quando se podem se tornar mais perigosos representando mais riscos para os manejadores, deve-se trabalhar de forma segura como exemplo: fazer a suplementação de fora do piquete em cochos que fiquem bem posicionados para essa finalidade.


Importante ter uma área ou corredores para movimentação dos animais tanto entre piquetes quanto para o curral de manejo ou embarque dos animais. Cercas e porteiras devem ser resistentes o suficiente, com altura correta e em perfeito estado de conservação e funcionamento.

Todos os procedimentos realizados com o gado como pesagens, tratamentos, inseminações e outras atividade devem ser feitas de forma controlada e segura.

Os currais de manejo do gado devem ser planejados de forma que, dentro do possível, os manejadores não passem no meio dos animais ou de forma que não tenha risco de acidente.


O planejamento das instalações favorece o manejo e possibilita áreas de escape e proteção em áreas de maior risco. Para realizar embarques deve-se manter curraletes e piquetes adjacentes fechados para facilitar a recuperação de animais que possam escapar nesse momento.


Sempre que entrar em locais fechados com animais devem-se tomar todos os cuidados principalmente quando forem animais adultos.


Comments


bottom of page